Corredores “Pipoca”: Esportistas ou Vilões?

Hoje resolvi escrever sobre um assunto polêmico, os chamados corredores “Pipoca”. Pra quem não sabe, o termo refere-se aos atletas que participam das provas sem adquirir o Kit de inscrição e que na maioria das vezes acabam por usufruir dos mesmos benefícios como água, frutas e até medalha! O objetivo desse post não é julgar ninguém, apenas criar uma dicussão sobre o tema, e deixo claro que sou a favor do esporte em primeiro lugar 😉

Recentemente, tivemos um caso preocupante, e justo na maior prova do país, a Corrida de São Silvestre. Em dado momento do evento, acabou a distribuição de águas, fato que a organização alega ser culpa dos “pipoqueiros” (estima-se que mais de 3.000 atletas tenham corrido sob essa condição). Seria justo então que os participantes que pagaram pelo Kit, cujo valor era de R$ 160,00 ficassem desidratados? A resposta é óbvia que não.

Corredores pipoca no meio da multidão, uma cena cada vez mais comum.

Porém, ao meu ver, tentar acabar com esse tipo de situação nas corridas por meio de ações inibidoras é constrangedor e diria que até desrespeitoso, pois elas acontecem em local público, de direito a toda pessoa de ir e vir. Mas vamos a alguns pontos. Analisando novamente a São Silvestre, o Kit continha camiseta, numeral de peito, chip de cronometragem, panfletos dos patrocinadores, 1 café e 1 gel de carboidrato, sendo que ao final da prova inexiste qualquer tipo de alimentação, diferente de todas que já participei. Um conjunto não muito atraente pelo valor cobrado.

Não tenho competência para analisar custo de produção, mas a julgar pela quantidade de patrocinadores, a organização poderia ter sido mais generosa. Digo isso porque acontece em várias competições. Será que olhar mais para o kit ofertado ao atleta já não amenizaria a situação? A questão da corrupção de alguns indivíduos que, mesmo sabendo que estão correndo irregulares, utilizam a estrutura da prova, diria que é cultural e pontual. A presença de cada vez mais gente, independente da condição, é muito bem vinda na minha opinião.

Um atleta protestando de forma criativa contra o alto valor da inscrição

Para o meu amigo e atleta Gabriel Zacchi, o valor das inscrições favorece a aparição dos pipoqueiros, mas assim como eu, não os vê como problema. “Os corredores pipoca tem participado com mais frequência devido ao alto custo das inscrições. É o fator principal, pois se o valor fosse mais acessível, as pessoas iam buscar correr com o Kit. Eu não acho que eles atrapalham, a maioria é consciente e respeita. Claro que sempre tem um ou outro cara-de-pau, mas que não chega a tirar o brilho das provas. Baixando o preço, cada vez menos teremos a pipoca.”, opina Gabriel.

E, por último, quero confessar que também já corri no meio da pipoca. Foi em 2015 na Maratona de Florianópolis, onde eu estava me recuperando de lesão e não havia distância para o que eu podia percorrer, mas queria estar presente. Levei minha hidratação, porém ao final da prova, um dos voluntários gentilmente me ofereceu frutas. Recusei por não estar inscrito, mas ele insistiu, demonstrando que com consciência e muito bom senso, no final ficam boas lembranças.

 

E vocês, o que acham dos atletas pipoca? Ajudam, atrapalham? Conta nos comentários 😉

Um abraço e até o próximo post!

 

Author colecionadordecorridas

5 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *