Resenha Adidas Ultra Boost: Ele realmente é bom?

Fala pessoal, tudo bem?

Em maio desse ano, ganhei de aniversário um dos tênis mais desejados pelos corredores, o Adidas Ultra Boost. Com um design revolucionário, a marca alemã se reergueu no mercado, antes dominado por Nike, Asics e Mizuno. Para se ter ideia do sucesso, em 2017 a participação da Adidas cresceu 70% no primeiro semestre em relação a 2016, o que para os tempos atuais é fantástico.

Pois bem, eis um pouco da ficha técnica dele:

  • Peso: 304 g (tamanho 41); tipo de corrida: natural; diferença de altura entre o calcanhar e a ponta do pé: 30,5 mm / 20,5 mm (10 mm de diferença)
  • As propriedades de resposta de energia da tecnologia Boost™ mantêm cada pisada carregada com energia leve, rápida e infinita.
  • Solado de borracha Continental™ para aderência extraordinária sob condições úmidas ou secas.

 

Foto/Reprodução: Divulgação Twitter Adidas

PREÇO

O valor do Ultra Boost assusta no início. Em seu lançamento, o preço médio estava por volta de R$ 799. Mas, hoje já é possível encontrar abaixo de R$ 600. Por ser um tênis de alta performance, o custo benefício é ótimo e se for comparado com o tênis de alta performance de outras marcas – o Nike Vaporfly 4 não sai por menos de R$ 1.199 – você verá que ele pode ser chamado de barato. Entretanto, sem entrar em detalhes sobre a carga tributária no Brasil, apenas digo que o encontrei no Chile por cerca de 67.000 pesos chilenos, ou R$ 357. #ficaadica

CONFORTO

Não há nada comparado ao conforto do Ultra Boost. Os pés do atleta podem expandir até 10mm durante a corrida, o que pode ocasionar bolhas e desconforto. Todavia, a Adidas incorporou no tênis a tecnologia PRIMEKNIT, onde o material se adapta ao pé, criando a sensação de estar calçando uma meia e não um tênis. Por isso uma dica: compre a numeração exata para aproveitar o máximo do calçado, pois se adquirir uma diferente, esse benefício será nulo.

Material do Ultra Boost se “molda ao pé dos atletas”.

DESEMPENHO

Já corri diversas distâncias com ele, curtas e longas, e constatei que o Ultra Boost não é um tênis veloz. Ele se sai muito bem nas provas de longa distância, pois o seu amortecimento – que dá o nome ao tênis – é elevado, diminuindo o esforço físico do atleta. A regra é simples, quanto mais amortecimento, menos velocidade, mas se seus objetivos não são tão ambiciosos nas corridas de 5 e  10km, ele dá conta do recado sem problemas.

DURABILIDADE

Passados 6 meses de uso, ou cerca de 400km, o desgaste o Ultra Boost é normal como qualquer outro tênis – A recomendação é que você nunca utilize um equipamento por mais de 1.000km, a fim de evitar lesões – nesse quesito portanto, ele é OK.

Solado do Ultra Boost foi desenvolvido em parceria com a marca de pneus Continental.

CONCLUSÃO

O material inovador e a beleza do Adidas Ultra Boost encantam qualquer corredor, e posso afirmar que em 4 anos, foi o melhor tênis que já usei. Seu preço e seus atributos ajudam ainda mais na hora de comprá-lo, mas pesquise com carinho os preços e coloque metas ao adquiri-lo. Na minha opinião, ele é um tênis diferenciado, próprio pra resistência e desempenho. Obviamente, cada um gasta seu dinheiro da melhor forma que lhe convém, mas comprá-lo apenas por capricho, a meu ver, não faz sentido.

Espero ter ajudado na escolha! A análise foi feita com base na minha experiência, portanto fiquem a vontade para discordar.

Um abraço e até o próximo post 😉

Author colecionadordecorridas

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *