Corredores de Carteirinha: Eni Griss

Olá meus amigos, tudo bem?

Seja na Grande Florianópolis, no Vale do Itajaí, no Norte ou no sul de Santa Catarina, você sabe que vai encontrar a Dona Eni nas competições. Mãe de uma família de corredores, a atleta é um exemplo pra todos que, de alguma forma, não se sentem aptos a abandonar o sedentarismo, isso porque, pasmem, ela está no auge de seus 66 anos! E se engana quem pensa que ela é modesta, pois já são 173 provas disputadas, sendo que em 76 delas ela levou um troféu pra casa. Impressionante né?!

Eni já não tem mais espaço em sua casa para tantas medalhas.

UMA FAMÍLIA DE CORREDORES

Alguns preferem viajar, uns optam por passear no shopping, outros escolhem apenas ver um filme no sofá, mas Eni, ao se aposentar, percebeu que podia ir além e, com o incentivo dos filhos Jules, Fernando e Evandro – que também são corredores – encontrou nas corridas o seu passatempo que, em seguida iria se tornar sua paixão. “Jamais me vi sentada na sala, tricotando e fazendo bolinho de chuva nas tardes de domingo. Não que isso seja algo errado, mas é que não combina comigo, sou inquieta, ativa, detesto ficar parada”, conta ela toda orgulhosa.

Além disso, a “jovem senhora” se vê na obrigação de passar adiante essa paixão. Por isso, hoje suas duas netinhas já são corredoras, acompanhando-a sempre que podem, sem qualquer pressão. As meninas exibem suas medalhas sempre com um sorriso no rosto.

As duas netas da Dona Eni são exemplo pra muita gente 🙂

OS CUIDADOS COM A SAÚDE E A POPULARIDADE

Apesar da disposição impressionante, Eni se cuida bastante em relação a saúde. Devido a uma disfunção cardíaca, a atleta precisa monitorar seus batimentos, que não podem passar de 140 por minuto. Caso isso aconteça, ela pode desmaiar (eu mesmo já vi ela desmaiar 2 vezes ). Por isso, sua meta é correr até o corpo obedecer. “Tirando a família, tenho certeza que hoje correr é a coisa mais importante da minha vida, sinto um prazer inexplicável e, com ela, fiz inúmeras amizades, não me vejo parando”, afirma Eni.

Sobre a pessoa, Eni Griss é  tão benquista na comunidade que em 2014 uma prova na Grande Florianópolis resolveu homenageá-la, colocando o troféu da competição em seu nome. Dessa maneira, a prova se chamou Desafio da Avenida das Torres: Troféu Eni Griss. Que moral, hein!

Eni comemorando a chegada na prova que a homenageou

DEFENSORA DA LEI DO IDOSO

Eni cobra com unhas e dentes que seja cumprido o Estatuto do Idoso. Isso porque ele determina o preço da meia entrada em eventos, inclusive os esportivos – lei que nem todas as organizações cumprem. Nesse momento, Eni tirou o semblante alegre e franziu a testa, deixando claro seu descontentamento.“Lei é para ser cumprida, e enquanto corremos (nós idosos), não vamos para as filas de hospitais, então deveríamos ser mais respeitados e tomados como exemplo, não como um incômodo”, mandou a atleta.

A atleta da Grande Florianópolis faz parte de uma minoria que corre na sua idade

A mensagem de inspiração da Eni é simples, porém não há verdade mais absoluta. “Não importa se você caminha alguns metros ou alguns quilômetros, siga adiante! Cada dia você irá sentir que pode um pouquinho mais. E faça amizades, elas darão a motivação extra que você precisa pra continuar!”

E você, o que falta para começar? rsrs

Um abraço e até o próximo post 😉

Author colecionadordecorridas

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *