Meia Maratona de Balneário Camboriú 2018: A prova mais difícil e desafiadora de todas

Olá amigos! Tudo bem?

Venho aqui hoje relatar sobre a prova na minha cidade do coração: Balneário Camboriú, conhecida como a Dubai brasileira. Não é de hoje que admiro essa região, e que talvez por coincidência tenha vivido os melhores momentos recentes da minha vida. Pela terceira vez, fiz a Meia Maratona da cidade, organizada pela competentíssima Corre Brasil. Foram mais de 4.000 atletas percorrendo a Av. Atlântica, batendo o recorde de inscritos!


Vídeo da Largada. Créditos: Camila Ern Leduc.

Estando em forma ou não, essa competição pra mim sempre foi a mais difícil de todas que já participei. Não é a toa que são meus tempos mais altos em 21km.  E vou contar os porquês.

CALOR

Por três anos seguidos, o céu azul predominou. Mesmo com a largada bem cedo, às 7h, a temperatura chegou aos 28ºC rapidinho, exigindo mais do fôlego e da hidratação. A regra é simples: quanto mais energia gasta, mais rápido vem o cansaço.

PERCURSO

O grande atrativo da prova, na minha opinião, é a paisagem. Balneário é linda, e além disso, o percurso passa pela Praia Brava, um dos recantos mais encantadores da região. Para aproveitar esse visual, os corredores precisam vencer a Estrada da Rainha, um morro pra lá de íngreme, que deve ser encarado na ida e na volta! A maioria dos atletas sobe caminhando, e comigo não foi diferente. Além dela, a maioria do trajeto é irregular, com pequenas subidas e descidas, o que cansa bastante!

ANSIEDADE

Pode parecer um pouco bobo, mas por ser a minha cidade preferida e por admirá-la tanto, a ansiedade de ter um bom desempenho nessa prova é muito maior do que nas outras. Foi a minha décima segunda meia maratona, e como já citei, a minha terceira na cidade, e mesmo assim, acredito que essa vontade de “fazer bonito” acaba atrapalhando um pouco.

No fim das contas, terminei a corrida com um tempo de 2h34min. A Thamiriz Garcia, minha namorada, fez os 5km e me esperou um boooom tempo na linha de chegada kkkk. E o mais legal de tudo, foi encontrar vários seguidores do blog que até então só conhecia virtualmente. Como disse a Carol Pontaldi, desvirtualizamos! (risos)

Sobre os detalhes da organização, perdi as contas de quantos pontos de hidratação tinha, e valorizo muito isso! Na chegada, shake proteico e frutas muito bem conservadas, as maçãs embaladas individualmente, tava bonito de se ver 😉 Nota 1.000!

É isso pessoal, estejam certos que voltarei ano que vem pra essa!

Um abraço e até o próximo post!

Author colecionadordecorridas

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *