Caixa corta o patrocínio e compromete mais de 180 corridas no país

Fala meus amigos, tudo bem?

Uma notícia preocupante para o nosso esporte. Depois do futebol, a Caixa está suspendendo os patrocínios das corridas de rua, mesmo os que já estavam acordados. Antes de mais nada, deixo claro que vou embasar o post em dados oficiais, entretanto vou dar a minha OPINIÃO, fiquem livres para discordar.

Em 2018, segundo a própria instituição, mais de R$ 25 milhões foram destinados para 180 provas pelo país todo. Agora em 2019, algumas provas já não irão contar com apoio da Caixa, como a tradicional Meia Maratona de São Paulo, que há 15 anos tinha essa parceria, responsável por 15% do faturamento. Outras famosas são a Volta da Pampulha, a Maratona do Rio, a Rolling Stones e a Meia da Cidade de São Paulo.

A Caixa também é uma das principais patrocinadoras de equipes do país. Só no ano passado o banco investiu cerca de R$ 1 milhão em pelo menos cinco equipes.

A Meia Internacional de São Paulo é uma das provas que não contará mais com o
patrocínio da Caixa. Foto: Yescom

Todavia, a maior parte dos contratos são de corridas menores, e é aí que isso se torna um problema. São provas que dependem da Caixa para existirem, corridas que geralmente ofertam a inscrição entre R$ 50 e R$ 100, e que poderão ser extintas caso a iniciativa privada não absorva. E já falando nisso, acredito, pelos 9 anos que tenho de experiência com publicidade, as marcas regionais não possuem condições de compensar essa perda, e nem interesse.

O portal Valor conversou com alguns organizadores e eles também acreditam que o impacto pode ser devastador, principalmente sobre pequenos organizadores, que fazem corridas pequenas e dependem do patrocínio do banco, quase sempre inferior a R$ 80 mil por prova/etapa. Para eles, a saída da Caixa pode inviabilizar centenas de corridas e aumentar o valor da inscrição para outras.

Aqui em Santa Catarina, uma das corridas mais tradicionais, a Night Run Costão do Santinho, teve seu patrocínio da Caixa suspenso a cerca de 3 semanas da realização, uma falta de respeito com a organização e com o dinheiro público. Pra onde vai esse dinheiro agora?

Recebemos a informação da suspensão do patrocínio da Caixa com 3 semanas para a realização do evento. Fomos pegos de surpresa pois nosso evento já havia sido aprovado pelo conselho diretor, fato que também ocorreu em todas as outras sete edições do evento.

Tivemos que buscar novas empresas interessadas a patrocinar o evento, mas o pouco tempo de análise se torna um grande obstáculo. Sem dúvida o impacto é grande e compromete o futuro do evento.

Acreditamos ser válido a análise do atual governo nos contratos de patrocínio de suas empresas estatais na intenção enxugar a máquina pública. Entretanto, assim como no esporte, a ética deve ser sempre preservada, e as mudanças, feitas de forma coerente e organizada.

Eduardo Marcondes, organizador da Night Run Costão do Santinho
Night Run Costão do Santinho perdeu seu patrocínio da Caixa a 3 semanas da prova.
Foto: Caroline Lucena/Divulgação/ND

Assim como essa, várias provas no estado também poderão sofrer com essa perda. Algumas delas:

  • Corrida CERENE Blumenau
  • Circuito SC10K
  • Meia Maratona de Criciúma
  • Desafrio Urubici
  • Mountain Do Praia do Rosa
  • Mountain Do Lagoa da Conceição
  • E pelo menos mais 6 que ainda aguardam uma posição oficial do banco…

Concordo que a distribuição do dinheiro público deva ser auditada a fim de combater a corrupção e o desperdício, mas isso não pode ser feito de forma arbitrária e generalizada. O esporte perde, a sociedade perde! Compare:

O custo dos deputados em Brasília supera a casa de 1 bilhão ao ano! É isso mesmo, 1 bilhão de reais. E isso falando só dos parlamentares federais. Sabemos bem qual é a eficiência desses deputados né? Pois é! Os R$ 25 milhões dos patrocínios da Caixa representam apenas 2,5% dessa fatia. Diante disso, eu aponto falta de senso e hipocrisia falar que a suspensão das verbas é necessária para diminuir os gastos públicos.

É isso meus amigos! Continuarei acompanhando esse triste capítulo do nosso esporte. Nosso papel como contribuintes agora é cobrar do poder público o destino dessa verba! O esporte conta com vocês!

Um abraço e até o próximo post 😉

Author colecionadordecorridas

One Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *