Corredores de Carteirinha: Mell Porto

Uma super corredora! Não só pelo desempenho nas provas e pela determinação no esporte, mas também pelo que apresenta pra quem a conhece fora do mundo das corridas. Filha de educadores físicos, a manezinha Mell Porto ganhou com a corrida qualidade de vida e uma sensação de invencibilidade que só aumenta a cada competição.

“A paixão pelos esportes sempre fez parte de mim, passei a vida “na rua”. Capoeira, Musculação, Dança, Basquete, Ginástica Olímpica… e quando achava que já tinha experimentado de tudo, a corrida apareceu. Eu digo que correr é uma relação de amor e ódio. Porque sofremos tanto para treinar, passamos por tanta dor e superação… E daí a linha de chegada surge e eu falo pra mim mesma: I´M KING OF THE WORLD rsrs. Simplesmente apagamos tudo e recomeçamos com o peito cheio de paixão”, conta com orgulho e bom humor.

CURRÍCULO PEQUENO. AMBIÇÃO GIGANTE.

Quando perguntada sobre o número de provas que disputou, a atleta brinca dizendo que se considera ainda mirim no mundo da corrida. Ela acabou de completar 2 anos e meio da primeira corrida, e de lá pra cá foram mais de 20. Apesar de ser “iniciante”, ela já tem metas e sonhos ambiciosos. “Esse ano farei minha primeira maratona (42km). Mas, meu desejo mesmo é completar 100km, além de querer correr o mundo! Ah, e um El Cruce (corrida de montanha que cruza a Cordilheira dos Andes) está nessa lista”, revela Mell.

A CORRIDA COMO TERAPIA

Apesar de competitiva, a atleta de Floripa conta que a corrida mudou muito sua vida em todos os ambientes, sendo eles profissional, familiar ou pessoal. “É a minha terapia. Correndo eu solto meus bichos e me livro de pensamentos negativos. Hoje sou mais disposta e muito mais paciente. Aceito melhor os problemas que surgem e lido melhor na solução deles”, diz. Além disso, ela corre junto com o marido, e conta com orgulho que a união vem se fortalecendo a cada dia, e agora, os dois possuem o sonho de correr o mundo.

Casal que corre junto é feliz junto! Mell e Renato Porto!

CUIDADOS COM A SAÚDE

Sua base familiar ajuda e muito nos cuidados físicos. Por esse motivo, a Mell conta que teve bem mais alegrias do que tristezas durante esse período em que se tornou atleta, contraindo apenas pequenas lesões que foram rapidamente tratadas. No aspecto psicológico, ela também sabe que é uma exceção, já que por enquanto não viveu nenhuma situação desagradável na rua, por exemplo. “Nunca sofri assédio ou violência, e sei que casos como esse infelizmente são bastante vivenciados pelos corredores, principalmente as mulheres! Temos que ficar atentas a tudo!”, diz a atleta.

O PAPEL DE INFLUENCIADORA DIGITAL

Seus mais de 20 mil seguidores nas redes sociais dão a Mell o status de influenciadora digital, motivando cada vez mais pessoas a apreciar a corrida de rua. Com isso, a responsabilidade aumenta, segundo ela. “A corrida parece simples, mas seu treinamento e evolução exigem disciplina, dedicação, persistência e muitos corredores não conseguem manter tais atributos por muito tempo. Porque realmente não é fácil! Creio que o influenciador tem o papel primordial de estimular estes atletas que precisam dessa motivação extra para continuar a treinar”, destaca a corredora.

Ela revela que esse estímulo pode se dar de várias maneiras, mas especialmente através do compartilhamento da rotina, treinos, das experiências vividas e de dicas sobre tudo que envolve correr. Porém, ela ressalta que não é legal “invadir” a seara dos profissionais habilitados. “O influenciador deve se limitar a passar o conhecimento adquirido pela sua própria vivência, e nunca se colocar no papel de substituir o fisioterapeuta, o personal, o nutricionista, entre outros da área da saúde”.

A Mell tem cerca de 20 mil seguidores nas redes sociais!

O QUE ESPERAR DOS KITS DE CORRIDA?

A Mell acredita que nada é dispensável nos kits de corrida. Ela ressalta que em algumas situações o valor é alto e não condiz com o que é oferecido. “Corredor adora um kit cheio! rsrs. O que não pode faltar é uma camiseta de qualidade, uma viseira bacana, e deixo, e quem sabe, um porta números ;)”, sugere a atleta. E completando esse tema, a corredora me contou que acha excelente que a corrida de rua tenha virado, também, uma espécie de negócio comercial, pois isso significa investimento em saúde. Arrasou!

A POLÊMICA DOS CORREDORES PIPOCA

Não é de hoje que estimulo os meus seguidores a refletir sobre os corredores pipoca. Acredito que chegou um momento em que os bons vão pagar pelos espertinhos que vão correr sem kit e ainda usufruem da estrutura da prova. A tolerância com esse tipo de gente, tem que ser ZERO!

E a nossa atleta define isso como antiético. Na visão dela, isso atrapalha não só a organização, como também os outros participantes, prejudicando o planejamento e o tempo de cada um. “A organização da prova prevê um número X de atletas e define o percurso com base na média de inscritos. Na hora da corrida, se tem mais atletas do que o previsto, as ruas não comportam, além de toda a estrutura (hidratação, alimentação, staff) ser insuficiente”, opina Mell.

E a corredora completa afirmando que em muitos casos a organização da prova paga taxas para a utilização da via, que apesar de pública, está cedida para um evento privado. Isso é investimento, e o corredor pipoca não paga um centavo por isso, diferente de quem se inscreve corretamente.


Encerrei a entrevista pedindo pra Mell deixar a sua mensagem de inspiração para outros atletas ou pra quem ainda não começou, mas vai começar a partir de agora, né? =D

Põe um tênis, vem pra rua! Dê seu primeiro trote. Sinta seu coração vibrar. Sinta o ar faltar. Sinta as pernas tremerem. Você está vivo!
Eu tenho certeza que após essa sensação você nunca mais irá querer parar. Vai doer? Sim! Vai ser difícil? Bastante! Vai precisar de dedicação e disciplina? Como tudo na vida, sim!
Vai ser recompensador? Como poucas coisas que você irá viver!
Vem pra rua, vem com a gente!

Mell Porto, corredora de carteirinha!

Um abraço e até o próximo post 😉

Author colecionadordecorridas

One Comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *